Envelhecimento

Postado por Flávio Coutinho - 20 de dezembro de 2014 - Saúde - Nenhum Comentário

envelhecimento-

Afinal de contas por que envelhecemos? Quando começamos e envelhecer? Existe ainda algum limite definido de quanto podemos viver? Quais são os marcadores de envelhecimento que são mais precisos? Existem ainda mecanismos de se desacelerar o envelhecimento? Todas estas são questões que a humanidade vem fazendo ao longo de toda a sua vida, apesar disto, com o avanço das últimas décadas de biologia molecular, bem como a decodificação do DNA humano e ainda da ciência como um todo, permitem que os cientistas de todo o mundo possam conhecer melhor os mecanismos de envelhecimento humanos. Com isto muitas teorias vem sendo propostas, e ainda se organizam em algumas categorias, como por exemplo a teoria do envelhecimento programado, e também a teoria do envelhecimento por danos biomoleculares. A teoria do envelhecimento programado deverá propor que os envelhecimentos são regulados através de uma tabela biológica, esta que deverá ser dependente da expressão de genes considerados reguladores dos processos de manutenção, além do reparo e também as respostas de defesa. Toda a teoria do envelhecimento por danos biomoleculares deverão propor que as causas do envelhecimento devem depender de forma predominantemente das agressões voltadas ao meio ambiente, este que oferece aos organismos vivos e que acumulam danos de diversos níveis.

Teorias Estocásticas

envelhecimento-1

As teorias que são consideradas estocásticas tem como justificativas principais a explicação da deterioração associada a uma idade avançada e ainda a acumulação dos danos moleculares que acontecem ao acaso. Vários mecanismos poderão levar ao acúmulo de moléculas consideradas defeituosas, como por exemplo a falha em reparar todos os danos ou erros causados de forma aleatória nas sínteses de macromoléculas. E ainda na observação dos vários mecanismos, este tipo de teoria existe para explicar todos os declínios considerados fisiológicos que acontecem com o passar da idade, e é importante se considerar toda a necessidade de compreender como os danos aleatórios deverão originar as mudanças sistêmicas. É importante que se possa estabelecer quais são as células, tecidos ou ainda organismos que contam com tipos específicos de moléculas que  são sensíveis a alguns tipos de danos aleatórios que poderão causar mudanças sistêmicas, é importante com isto se estabelecer quais são as células, os tecidos ou ainda os organismos que contam com tipos específicos de moléculas que são sensíveis a certos tipos de danos e que espécies de vida longa poderão ter um melhor sistema de reparo.

 

 

 

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *