Sampaio: A Moeda Social Criada na Periferia de São Paulo

Postado por Flávio Coutinho - 7 de junho de 2014 - Economia - Nenhum Comentário

sampaio-a-moeda-social-criada-na-periferia-de-sao-paulo-

Uma forma curiosa de compra e vender que está sendo adotada em determinadas regiões da cidade de São Paulo. Trata-se de uma “moeda social”. A moeda é fornecida pelo Banco Sampaio, localizado na Zona Sul da cidade. A estratégia usada é convencer os comerciantes a aceitarem a moeda que é adquirida pelos consumidores por meio de empréstimo no banco, os quais, por sua vez, fazem a troca da moeda sampaio para o real no próprio banco. O uso dessa moeda pode ser feito em açougues, mercados, padarias, lojas, locadoras de vídeo ou qualquer outro estabelecimento que seja conveniado com o banco. E é fácil saber se a moeda social é  aceita no estabelecimento, já que estes divulgam de forma bem visível essa informação. Na mesma matéria publicada pelo jornal, outra moeda social é mencionada, a apuanã, mas já foram detectadas no país outras cinco formas muito similares à utilizada pelo Banco Sampaio e pelo Banco Apuanã, ou seja, é elaborada, criada, materializada, regularizada e administrada por um banco comunitário, que funciona em forma de cooperativa e atua por regiões. É válido ressaltar que não se trata de um vale, como o vale refeição, transporte, etc. é praticamente um sistema monetário paralelo ao real. Aliás, essa forma de negociação não é exclusiva da cidade de São Paulo e, muito menos de nosso país. Em Fortaleza, no Ceará, o Banco Palmas é a entidade financeira responsável pelas moedas sabiá, terra, tupi e maracanã, nomes muito típicos e icônicos em nosso país. Na Argentina, esse estilo de negociação foi adotado por comunidades na tentativa de superar uma crise pela qual o país estava passando. O número de aceitação foi bastante significante, já que cerca de 1 milhão de usuários da moeda foram registrados.

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *