Artes Circenses têm Diferentes Raízes Históricas

Postado por Flávio Coutinho - 10 de junho de 2014 - Arte - Nenhum Comentário

as-raizes-e-a-origem-do-circo-6

Equilibrismo – o primeiro relato de equilibrismo na corda bamba é datado na China, em 108 a.C., em homenagem a visitantes estrangeiros numa grande festa palaciana, que contou com a apresentação de vários números de acrobacia. O impacto foi tanto que o imperador resolveu realizar espetáculos do gênero todo ano.

Contorcionismo – os truques do homem elástico é uma modalidade olímpica, com surgimento na Grécia Antiga há mais de 2.500 anos. Há registros mais antigos, porém, de cerca de 5.500 anos, indicando que a prática talvez já fosse usada na China para o treinamento de guerreiros.

Malabarismo – segundo historiadores, os sujeitos das “mãos mágicas” começaram a mostrar sua arte inicialmente em rituais religiosos da antiguidade. Os chineses equilibravam pratos girando-os, enquanto que egípcios e gregos usavam bolas, que posteriormente foram substituídas por tochas acesas.

Engolidores de Fogo – eles apareceram no Império Romano há mais de 2.000 anos nos espetáculos Circus Maximus, onde esses pirófagos costumavam ser louros, altos e nórdicos, o que acentuava o exotismo.

Domadores de Leão – os guerreiros egípcios foram os primeiros domadores de leão, eles capturavam animais selvagens nas terras conquistadas, desenvolvendo formas de lidar com eles e trazendo-os à terra natal para apresentá-los em desfiles.

Palhaço a Cavalo – essa atração do circo moderno surgiu no século 18, na Inglaterra, o palhaço e o equilibrismo com piruetas sobre o cavalo eram uma única atração. O sucesso foi tamanho e imediato, tanto que os clowns ganharam cada vez mais espaço no picadeiro.

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *