As Técnicas de Alisamento sem Formol

Postado por Flávio Coutinho - 17 de maio de 2014 - Beleza - Nenhum Comentário

as-tecnicas-de-alisamento-sem-formol-4

Uma parte das mulheres sente a vontade de deixar ou manter os cabelos lisos e sedosos, ainda mais com a evolução das técnicas de alisamento, que não só proporcionam um efeito extraordinário, mas garantem uma excelente durabilidade, que varia de acordo com os produtos e com cada técnica. No entanto, vale destacar que existem algumas técnicas que não são tão boas quanto parecem, afinal podem danificar os fios e ainda causar danos irreversíveis. Portanto, antes de passar por alguma técnica de alisamento, vale a pena prestar muita atenção na procedência dos produtos.

Formol e Seus Riscos

as-tecnicas-de-alisamento-sem-formol-2

Um dos produtos que têm fundamentado muitas discussões é o formol, que de acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer) é um produto que pode ser utilizado como preservativo, desinfetante, e antisséptico. O problema é que o formol é toxico quando ingerido, inalado, ou mesmo quando entra em contato com a nossa pele. Além dos riscos mais simples, vários estudos estão sendo feitos para constatar se o produto pode causar danos ainda maiores, já que há uma suspeita de que ele seja cancerígeno. Portanto, o uso do formol em produtos capilares representa um risco muito grande para a sociedade.

Como Saber Se o Produto Tem Formol?

as-tecnicas-de-alisamento-sem-formol-1

Como todos nós sabemos, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) só permite que o formol seja utilizado no processo de fabricação nas indústrias, desde que não ultrapasse 0,2%. Portanto se você for ao cabeleireiro e perceber que o produto possui um cheiro forte, causa ardência nos olhos ou ao entrar em contato com pele e causa irritação no nariz e na garganta, desconfie, pois provavelmente há formol na composição. Portanto, antes de passar por qualquer técnica de alisamento, peça para ver a composição e a procedência do produto e, além disso, busque contar com a ajuda de profissionais capacitados.

Dá Para Alisar sem Formol?

as-tecnicas-de-alisamento-sem-formol-3

Mesmo que algumas pessoas digam que o único jeito de alisar os cabelos é utilizando produtos que contenham determinada quantidade de formol, sabemos que as técnicas de alisamento evoluem cada vez mais, o que possibilita que você cuide da beleza dos seus fios, mas sem danificar a sua própria saúde. Para exemplificar o que foi dito anteriormente, a partir de agora abordaremos algumas técnicas de alisamento saudáveis.

Alinhamento Capilar

O alinhamento capilar é uma técnica que não utiliza o formol, mas garante fios alisados, além de corrigir possíveis imperfeições capilares. A vantagem é que a técnica não tem função somente química, mas consiste em um tratamento. O objetivo do alinhamento capilar é reduzir o volume dos fios e hidratá-los. No entanto, o alinhamento capilar não tem tanta durabilidade, pois o produto vai saindo conforme você lava o cabelo. E para garantir que o produto permaneça por mais tempo em seu cabelo, utilizar um shampoo sem sal é essencial. A técnica tem início com a lavagem dos fios, que deve ser feita por duas vezes com o auxílio de um shampoo antirresíduos. Em seguida, o profissional aplica uma loção redutora mecha por mecha. Após essa etapa, os fios são alinhados com um pente e o cabelo fica envolto em uma touca plástica. Após trinta minutos retira-se a touca e os fios são alisados com a ajuda de um secador e, posteriormente, com o auxílio de uma prancha.

Escova Orgânica

A escova orgânica promete hidratar os fios, deixando-os mais lisos e brilhantes. Assim como a técnica mencionada anteriormente, não possui tanta durabilidade quanto as técnicas que contam com o formol, pro isso precisa ser refeita a cada quatro meses. Compatível com todas as químicas e colorações, a escova orgânica é feita a partir de um processo simples, já que basta lavar os fios com um shampoo de limpeza profunda, em seguida os fios são secos, passam pelo alisamento da chapinha e o processo é finalizado com a aplicação de um spray que contém aminoácidos, óleo de argan e outras proteínas.

Escova de Morango

A escova de morango contém proteínas, queratina, ácido de frutas, entre outros produtos em sua composição. No entanto, essa técnica é livre de formol, mas por conter etanolamina em sua fórmula, garante a nutrição dos fios. O processo é feito como ocorre com a maioria das técnicas de alisamento, ou seja, os fios são lavados com shampoo antirresíduos, em seguida o produto é aplicado e os cabelos devem ser secos. A escova de morango, justamente por não conter formol, não é contraindicada para nenhum tipo de cabelo.

Escova Americana

No vasto catálogo de técnicas para alisamento está a escova americana, que é indicada para quem quer domar os fios e controlar o volume dos fios encaracolados. Além disso, a técnica faz com que os fios fiquem com um aspecto natural, diferente de muitas outras técnicas. Por conter guanidina em sua composição, a Escova Americana não é indicada para quem já passou por procedimentos que contam com amônia, hidróxido de sódio, henê, tioglicolatos.

Escova Indiana

as-tecnicas-de-alisamento-sem-formol-

A escova é uma técnica de hidratação profunda feita a partir do chá verde. Na realidade, o processo não alisa tanto os fios, mas por hidrata-los bastante, acaba deixando-os com um aspecto mais alisado, já que também reduz o volume. A eficácia da escova indiana é garantida, tanto que ela é capaz de reduzir até 70% dos volumes dos fios, já imaginou? Além disso, o produto é rico em substâncias antioxidantes, o que auxilia no combate do envelhecimento dos fios. Todas as técnicas mencionadas são somente um pouco das inúmeras opções disponíveis no mercado. No entanto, antes de escolher o melhor procedimento para os seus cabelos, consulte um (uma) profissional sério, pois ele (ela) saberá indicar a técnica que mais se adéqua aos seus cabelos. Além disso, desconfie de procedimentos muito baratos ou de produtos elaborados dentro do próprio salão, pois o ideal é que o produto passe pela a avaliação da ANVISA e produtos com procedência não costumam custar muito barato.

 

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *